Professor Responsável: Pedro Paulo Gastalho de Bicalho

 

Pré-Requisitos:

- Ter cursado/estar cursando: Extensão Universitária, Psicologia e Compromisso Social II

 

Diferencial:

- Criminologia

 

Vagas:

- 2 vagas para extensionista ou estagiário

 

Atenção: Audiências de Custódia no Presídio Frederico Marques em Benfica

 

Disponilidade:

- 20h semanais;

- Presencialmente das 12h às 16h a cada 15 dias;

- Supervisão: Quartas-feiras de 18h30 às 20h (online).

 

ATENÇÃO:

Necessidade de esquema vacinal completo

 

Seleção:

- 1ª fase (até 26/11 às 12h): Resposta do Google Forms com envio de carta de intenção.

A carta de intenção deverá responder a pergunta: "Qual a contribuição da Psicologia para o Sistema Penitenciário?" e ter, no máximo, duas páginas.

A inscrição é feita pelo forms: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdouHFt16PwREWQOdnVPF8WE2oTQvzSbqkALrUEd4gRjA0DiA/viewform?usp=pp_url

 

- 2ª fase (29/11/2021): Plataforma: Google Meets, às 14h

O projeto entende que o campo da audiência de custódia e do sistema penitenciário não é de conhecimento de todos, portanto, selecionaram dois textos como referenciais teóricos sobre o assunto: https://drive.google.com/drive/folders/1tQt2XElv0xGtBVO8gsPe31yzaXI-8Rlx?usp=sharing

 

 

Supervisora: Karla Valviesse (DPA/UFRJ).
 
Pré-requisitos: cursar a partir do 5º período de Psicologia, ter o horário de supervisão inteiramente disponível.
 
Referencial teórico: Pesquisa-Intervenção; Clínica e Transdisciplinaridade; Intervenções Psicossociais; Clínica da Diferença (Guattari, Deleuze, Foucault, dentre outros); Jung (Individuação, arquétipos, complexos e principais conceitos da Psicologia  Analítica ); Psicoterapia Institucional (Renè Lourau)
 
Atenção: haverá estudos iniciais para a devida preparação da equipe. 
 
PESQUISA: O trabalho consiste no estudo bibliográfico do fazer clínico na contemporaneidade, a partir da crítica instaurada pela Filosofia da Diferença e pretende oferecer subsídios para uma articulação teórico-prática que ofereça ferramentas e dispositivos afetos à realidade contemporânea, em seus aspectos subjetivadores.  O conhecimento produzido será disponibilizado através de meios acadêmicos e não acadêmicos de divulgação, como instrumento para ampliar os saberes relativos ao cuidado em saúde da psiquê, validando-a tanto em seu plano pré-individual quanto social. A metodologia da pesquisa envolve o estudo de referenciais teóricos da linha de pesquisa, bem como ações investigativas e participação em projetos em andamento, para realização de seus objetivos de divulgação pública. 
 
Nº. de vagas oferecidas: 08
 
Carga horária semanal de estágio: 10h ou de acordo com a possibilidade de adesão do estudante e disponível como disciplina.
 
Seleção: 19/11 SEXTA-FEIRA, on-line, às 11h, por Skype).
 
Horário de Supervisão: 
 
QUARTAS-FEIRAS, das 12:00h às 14:30 (on-line até liberação institucional).
 
Início do estágio: imediato
 
Duração: 01 ano, podendo renovar.
 
Mais informações e inscrições via e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. / Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
 
Documentos necessários: Histórico Escolar/Crid/BOA
 
Em caso de inscrição em disciplina: Número de Créditos Referentes = 03 créditos
 
Solicitamos aos candidatos que elaborem um pequeno texto NÃO-acadêmico, no corpo do e-mail de inscrição, contando o que espera do estágio e atravessamentos que surgirem a partir do texto abaixo:
 
“[Os] tantos que ousaram afirmar [e] fazer da psicanálise processo permanente de construção teórica e prática contra o engessamento da institucionalização, [esse] destino foi certamente de (…) Jung e outros.” (André Rossi - Tese/UFF)
 
Podemos perceber uma articulação inaudita entre as proposições de Jung (nunca totalmente compreendidas) e algumas proposições-chave da Filosofia da Diferença de Deleuze, Simondon, Guattari e outros. Vejamos:  “Por exemplo, princípio ontogenético atravessa a obra de Simondon e, com ele, o indivíduo não é tomado como constituído, dado.”
 
Está é a base da proposta de Deleuze e Guattari: O ao psicólogo caberia acompanhar os processos de subjetivação que operam como modeladores e construtores das “verdades” assumidas sem que delas se pergunte nada. Um processo de individuação equivale a uma singularização, tendo em virá tanto o plano que engendra o indivíduo (Que Guattari também chamou de pré-individual) , visto como uma composição rica em energia, matéria indeterminada mas prenhe potências “caladas” ou “exacerbadas” limiares de intensidade que são impostos “de fora”. Seja a visada física, biológica, psíquica, coletiva, técnica, do conhecimento, todas elas, para  Simondon e Deleuze e Jung, estão sobrecodificadas e/ou pouco acessíveis. Ampliar a consciência seria, então o próprio mecanismo que geraria invenção e de transdução (Deleuze usa o termo transversalização) 
 
A questão é que Jung, tal como qualquer outro autor, e seguindo ainda as proposições da Filosofia Diferença, precisa ser contextualizado. Importa ainda dizer, que não faz sentido algum usar um microscópio produzido em 1970, ou teorias não criticadas a partir da realidade social e nem individual!)” (IJEP/2003)
 
E
 
“A proposta é redefinir a clínica a partir da crítica à concepção de subjetividade como substância, naturalizada por leis universais estritamente psíquicas, responsáveis por sua regularidade e contornos conceituais bem delimitados e imutáveis. A relação entre subjetividade e práticas discursivas é explorada como processo de produção recíproca, onde modos de dizer e modos de existir emergem dos jogos de forças. Duas modalidades de movimento das forças são sublinhadas, deixando ver os dois pólos do processo de subjetivação: produções subjetivas homogeneizantes e invenção de novos modos de funcionamento. A tarefa clínica, neste contexto, se cumpriria no zelo pelo duplo movimento, pelo qual a subjetividade preservaria seu caráter processual, distante de uma constituição substantiva.” (Tedesco, 2007)
 
 

 

O Estágio propicia atuação clínico-institucional junto a pacientes diagnosticados com a doença de Parkinson, seus familiares e a equipe multidisciplinar que os atende no Instituto de Neurologia Deolindo Couto (INDC/Campus Praia Vermelha). 
 
Modalidade On-line e previsão de retorno presencial em 2022, o estágio oferece a oportunidade de vivenciar o cotidiano de práticas de saúde numa instituição ambulatorial, a partir dos preceitos dos Cadernos HumanizaSUS, atuando tanto na intervenção junto a pacientes quanto na própria equipe multidisciplinar (Fisioterapeutas, Médicos, Nutricionistas etc), através de estratégias e procedimentos clínicos que se articulam num tripé ético, estético e político.
 
A seleção privilegiará os candidatos que apresentem relação com a arte, a música, o teatro e todas as formas de expressão não-linguísticas  do si. Assim, o estágio promove a construção estratégias e dispositivos clínicos afetos à sensorialidade, ao movimento e a expressão de toda a consciência (o corpo, aqui, é Consciência - ninguém tem um corpo. Todos somos corpo), expandindo-a através de dispositivos criados para os grupos e desenvolvidos em Supervisão.  
 
Requisito: a partir do 5º período. 
 
SELEÇÃO: 19/11/2021, na SEXTA-FEIRA às 15:30, via Skype.
 
Vagas: 06
 
Carga horária semanal de estágio: 20h
 
Horário de Supervisão: Terças-feiras das 10h as 12h. 
 
Horários do Estágio (Quando for autorizada a presencialidade):
 
- 3 vagas para Terças, das 9h às 12h
 
- 3 vagas para Quintas, das 8h às 11h 
 
Atenção: Na volta do serviço presencial repatriaremos o horário, sempre pela manhã e a partir das possibilidades do estagiário)
 
Referencial teórico: Análise Institucional Francesa/ Caderno 10 do SUS (Formação).
 
Supervisora: Karla Valviesse
 
Documentos necessários: CRID e Histórico.
 
Informações e inscrições por e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Pedimos o envio de um pequeno texto não acadêmico sobre o estagiário, e como este percebe a relação entre Psicologia e Arte; Psicologia e Atenção a pacientes crônicos; a Psicologia no contexto do SUS, segundo o Caderno 10 (Formação).
 
 

 

Supervisora: Karla Valviesse (DPA/UFRJ).

Pré-requisitos: cursar a partir do 5º período de Psicologia, ter o horário de supervisão inteiramente disponível.

Referencial teórico: Pesquisa-Intervenção; Clínica e Transdisciplinaridade; Intervenções Psicossociais; Clínica da Diferença (Guattari, Deleuze, Foucault, dentre outros); Jung (Individuação, arquétipos, complexos e principais conceitos da Psicologia Analítica )
Atenção: haverá estudos iniciais para a devida preparação da equipe.

PESQUISA: O trabalho consiste no estudo e criação/ produção, além do gerenciamento de uma página/canal, em meios eletrônicos, que distribuirá conhecimento na área de Psicologia e Processos de Subjetivação no contemporâneo.

Nº. de vagas oferecidas: 05

Carga horária semanal de estágio: 10h ou 20h/ de acordo com a possibilidade de adesão do estudante.

Seleção: 18/11 QUINTA-FEIRA, on-line, às 13h h, por Meets).

Horário de Supervisão: Quintas-feiras, das 13:00h às 16h (on-line).

Início do estágio: imediato

Duração: 01 ano, podendo renovar.

Mais informações e inscrições via e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. / Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Documentos necessários: Histórico Escolar/Crid/BOA

Em caso de inscrição em disciplina: Número de Créditos Referentes = 03 créditos

Solicitamos aos candidatos que elaborem um pequeno texto NÃO-acadêmico, no corpo do e-mail de inscrição, contando o que espera do estágio e atravessamentos que surgirem a partir do texto abaixo:
“...o fundamental (…) é que o conhecimento produzido esteja permanentemente disponível para todos e possa servir de instrumento para ampliar a qualidade de vida da população. Podemos considerar que a pesquisa participante se constitui em uma metodologia com pressupostos gerais de pesquisa, envolvendo diferenciados modos de ações investigativas e de priorização de objetivos.
A pesquisa-intervenção consiste em uma tendência das pesquisas participativas que busca investigar a vida de coletividades na sua diversidade qualitativa, assumindo uma intervenção de caráter socioanalítico.”
(Aguiar e Rocha, 2003)

 

 

Supervisora: Karla Valviesse (DPA/UFRJ).

Pré-requisitos: cursar a partir do 5º período de Psicologia, ter o horário de supervisão inteiramente disponível.

Referencial teórico: Clínica e Transdisciplinaridade; Clínica da Diferença (Guattari, Deleuze, Bergson, Espinosa); Jung (Individuação, arquétipos, complexos e principais conceitos da Psicologia Analítica )

Atenção: haverá estudos iniciais para a devida preparação da equipe.

PESQUISA: O trabalho consiste no acompanhamento clínico e processual de pacientes que buscam. Divisão de Psicologia Aplicada da UFRJ. Triagem e seleção de pacientes. Produção de relatórios e acompanhamento em Supervisão Clinica.

Nº. de vagas oferecidas: 03

Carga horária semanal de estágio: 10h ou 20h/ de acordo com a possibilidade de adesão do estudante. (Até liberação institucional, on-line).

Seleção: 16/11 Terça-feira, on-line, às 11:30h, por Meets).

Horário de Supervisão: Terças-feiras, das 13:00h às 16h (on-line).

Início do estágio: imediato

Duração: 01 ano, podendo renovar.

Mais informações e inscrições via e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. / Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Documentos necessários: Histórico Escolar/Crid/BOA

Em caso de inscrição em disciplina: Número de Créditos Referentes = 03 créditos

Solicitamos aos candidatos que elaborem um pequeno texto NÃO-acadêmico, no corpo do e-mail de inscrição, contando o que espera do estágio e atravessamentos que surgirem a partir do texto abaixo:

“[Os] tantos que ousaram afirmar [e] fazer da psicanálise processo permanente de construção teórica e prática contra o engessamento da institucionalização, [esse] destino foi certamente de (…) Jung e outros.” (André Rossi - Tese/UFF)

Podemos perceber uma articulação inaudita entre as proposições de Jung (nunca totalmente compreendidas) e algumas proposições-chave da Filosofia da Diferença de Deleuze, Simondon, Guattari e outros. Vejamos: “Por exemplo, princípio ontogenético atravessa a obra de Simondon e, com ele, o indivíduo não é tomado como constituído, dado.”
Está é a base da proposta de Deleuze e Guattari: O ao psicólogo caberia acompanhar os processos de subjetivação que operam como modeladores e construtores das “verdades” assumidas sem que delas se pergunte nada. Um processo de individuação equivale a uma singularização, tendo em virá tanto o plano que engendra o indivíduo (Que Guattari também chamou de pré-individual) , visto como uma composição rica em energia, matéria indeterminada mas prenhe potências “caladas” ou “exacerbadas” limiares de intensidade que são impostos “de fora”. Seja a visada física, biológica, psíquica, coletiva, técnica, do conhecimento, todas elas, para Simondon e Deleuze e Jung, estão sobrecodificadas e/ou pouco acessíveis. Ampliar a consciência seria, então o próprio mecanismo que geraria invenção e de transdução (Deleuze usa o termo transversalização)
A questão é que Jung, tal como qualquer outro autor, e seguindo ainda as proposições da Filosofia Diferença, precisa ser contextualizado. Importa ainda dizer, que não faz sentido algum usar um microscópio produzido em 1970, ou teorias não criticadas a partir da realidade social e nem individual!)” (IJEP/2003)
E
“A proposta é redefinir a clínica a partir da crítica à concepção de subjetividade como substância, naturalizada por leis universais estritamente psíquicas, responsáveis por sua regularidade e contornos conceituais bem delimitados e imutáveis. A relação entre subjetividade e práticas discursivas é explorada como processo de produção recíproca, onde modos de dizer e modos de existir emergem dos jogos de forças. Duas modalidades de movimento das forças são sublinhadas, deixando ver os dois pólos do processo de subjetivação: produções subjetivas homogeneizantes e invenção de novos modos de funcionamento. A tarefa clínica, neste contexto, se cumpriria no zelo pelo duplo movimento, pelo qual a subjetividade preservaria seu caráter processual, distante de uma constituição substantiva.” (Tedesco, 2007)

 

 

APRESENTAÇÃO

Trata-se de um projeto de pesquisa que busca observar as diferentes formas de produção de subjetividades engendradas por práticas psicológicas clínicas e, neste contexto, como essas práticas clínicas são performadas na pluralidade, como elas se articulam entre si (ou não), que controvérsias surgem de seus modos de atuação e que mundos e modos de subjetivação são aí produzidos entre pacientes, estagiários, coordenadores, setting clínicos, grades curriculares, etc. A pesquisa tem se desenvolvido a partir da realização de entrevistas abertas com supervisores, estagiários e pacientes da Divisão de Psicologia Aplicada (DPA) da UFRJ, assim como do acompanhamento e produção de relatos de campo – que se dá a partir do método etnográfico – das equipes de atendimento psicoterápico da mesma instituição, que se orientam por diferentes abordagens terapêuticas. Esses materiais são armazenados compondo um acervo histórico que são por vezes retomados na pesquisa para discussão. Para tanto, são utilizadas como referencial para o trabalho de campo a Teoria Ator-Rede de Bruno Latour e John Law, e a Epistemologia Política de Isabelle Stengers e Vinciane Despret; além de leituras provenientes do campo da antropologia que nos auxiliam a pensar o trabalho etnográfico, tais como Malinowski, Clifford Gertz, James Clifford, Roy Wagner, etc.

Professor Responsável: Arthur Arruda Leal Ferreira

Estágio destinado a estudantes da UFRJ, somente.

Número de Vagas: 3 ou 4

Requisitos: ter cursado, ou estar cursando, a disciplina “História da Psicologia”

Disponibilidade de horário: Segunda-feira das 17h às 19h (Supervisão)

TEXTOS PARA SELEÇÃO:
https://drive.google.com/drive/folders/19N6oCKG2wtgi799Gt6qMFr6s2L36CL5w?usp=sharing&fbclid=IwAR1Cest5shNLqQ1vFrvyzMBSr2U8NvGn6IguvpsPIJzRk82HCfgthWlAzlc

INDICAÇÃO DE VÍDEO: https://youtu.be/gRMrmbW9-8c

QUESTÕES DA SELEÇÃO:
1) Em função dos questionários propostos na pesquisa, que questões você acrescentaria, alteraria ou retiraria? Justifique suas alterações.
2) Além do questionário, que outros modos e estratégias de investigação você sugeriria?
3) Face ao que foi exposto em nossa pesquisa, que aspecto desse campo você acha que seria interessante de ser explorado?
4) O que seria a marca da etnografia no contraste com outras estratégias de pesquisa da psicologia? Como você a relacionaria, por exemplo, com discussões historiográficas?

As(os) interessadas(os) em participar da seleção deverão enviar nome, DRE e as respostas das questões (totalizando no máximo 5 páginas, sendo este o limite incontestável) para os emails Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. e Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. até o dia 16/11 (terça-feira).

O encontro para discussão das respostas será no dia 19/11 (sexta-feira) via Skype. Se quiser, a(o) candidata(o) poderá ter e usar o texto escrito na hora do encontro.

 

 

Disponível para alunos de cursos da área da saúde;

Vagas: 8 vagas para alunos da UFRJ e 2 vagas para alunuos externos;

Inscrições: 23/10 à 30/10

Início: Previsto para novembro de 2021

Pré-requisitos:

- Alunos UFRJ: ter cursado a disciplina Saúde, Parentalidade e Interações precoces, Embriologia, Genética e/ou Infância;

- Ter disponibilidade para 12 horas semanais, obrigatoriamente para as supervisões às quartas 17-19h;


Enviar carta para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. com máximo de 20 linhas com as motivações para candidatura ao estágio/extensão em pesquisa, relacionando-as às ações atuais do LEPIDS;

Os candidatos pré selecionados serão chamados para entrevista.

 

 

A professora Rosinda Oliveira está abrindo seleção para a equipe de avaliação e reabilitação neuropsicológica de crianças.

Pré-requisito:
A partir do 5º período.

Sobre o estágio:
Horário da supervisão: quarta-feira das 15:00 às 18:00h
O candidato deverá dispor de outros horários para atendimentos de pacientes.

Carga horária: 16h semanais

Início: Novembro de 2021


Inscrição e mais informações:
Enviar um e-mail até dia 21/10/2021 para: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Contendo boletim e carta de intenção
No assunto do e-mail, escrever: Seleção para Estágio Clínico


Data da entrevista:
25/10/2021, em link a ser enviado por e-mail (Maiores detalhes sobre a seleção serão passados por e-mail aos interessados)

 

 

O Hospital Federal dos Servidores do Estado divulga o Edital do Processo Seletivo de Estagiários disponível no site http://www.hse.rj.saude.gov.br/

As inscrições serão realizadas online, no período de 24/09/2021 a 05/10/2021.

Para mais informações, os candidatos deverão acessar o Edital através do link:

http://www.hse.rj.saude.gov.br/profissional/cea/pdfs/SEI_MS_0022828181_Edital_Processo_Seletivo.pdf

 

 

Objetivo: atendimento em grupo a mulheres em situação de vulnerabilidade social

Supervisora: Fernanda Canavêz

N. de vagas: 03 vagas para início em 01 de outubro de 2021

 

Requisitos:

- estudantes a partir do 7 período (cursando ou que tenham cursado Clínica Psicanalítica)

- disponibilidade para cumprir 12 meses de estágio

- desejável ter cursado a eletiva Epistemologias Situadas em Psicanálise

-Carga horária semanal: 12 h

 

É indispensável ter disponibilidade nos seguintes horários: Atendimentos: terças-feiras de 13:00 às 16:30;

Supervisão: quintas-feiras de 14:00 às 16:30

Duração do estágio: 1 ano

 

Inscrições: Envio da documentação por e-mail de 16/09 a 25/09 para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Entrevista online de estudantes selecionados na primeira etapa: 29/09, de 13:00 às 15:00

 

Documentos necessários:

- CRID

- Histórico escolar

- Carta de intenção justificando o interesse no estágio

 

UFRJ Instituto de Psicologia
Desenvolvido por: TIC/UFRJ